Expressão muito alentejana que significa "basta" ou "já chega". Espaço de liberdade. Galeria de arte pública.

.Ultimamente...

. Se quiserem...

. O verdadeiro amigo está s...

. Onde pára esta sangria?

. Pequim(ninos)

. No fundo, no fundo...

.Sótão

Terça-feira, 10 de Abril de 2007

Custos da interioridade

Como sabem, a minha área profissional é a medicina e cirurgia de animais de companhia,área que escolhi por vocação e cujo desempenho me traz uma imensa satisfação.

Considerando nós que para se exercer nesta área é necessária uma dedicação exclusiva e uma formação extensa, temos encontrado muitas dificuldades em contratar novos profissionais para trabalhar connosco, uma vez que existe muita gente com a formação que pretendemos, embora poucos ou nenhuns queiram vir das suas zonas de origem (centros urbanos no litoral),para viver em Beja.

 

Coloco esta situação por dois motivos:

 

1. Numa altura em que se fala em desemprego, nós queremos contratar e encontramos muitas dificuldades.

2. Numa altura em que se fala em mobilidade, notamos na pele que apesar de o País ser tão pequeno, não é fácil mover as pessoas dentro do mesmo.

 

Custos da Interioridade?

 

publicado por Andre às 14:05
link do post | comentar | favorito
4 comentários:
De nikonman a 10 de Abril de 2007 às 21:50
Custos da interioridade e de uma enorme preguiça em dar um passo em frente. A indolência anda por aí à solta.
De zig a 11 de Abril de 2007 às 23:33
Sabes bem que a maior parte dos licenciados (PM) quer um lugar ao sol, ganhar muito e trabalhar pouco, e isso não é possível no interior. No entanto, acho estranho que vocês não encontrem ninguém disposto a trabalhar com vocês, já que são gente impecável!!!
De h a 12 de Abril de 2007 às 17:29
Algo de muito estranho se passa, quando simultaneamente a taxa de desemprego e a recepção de imigrantes crescem simultaneamente!
De Catarina a 24 de Abril de 2007 às 01:25
eu por acaso sou quase vet e gostaria de ter um trabalho aqui perto da minha familia, na minha terra. ja tenho duas filhas crescidas que por sua vez têm amigas, etc etc...
além disso a minha família precisa de facto de mim...
mas acredita que se nao tivesse filhas que me prendessem a esta terra, que é almada, te garanto que ia para onde fosse preciso...
além disso tenho de manter o meu primeiro trabalho pois é dele que eu tiro o sustento, meu e das minhas filhas... porque eu ja sou cota ( mas só um bocadinho)... ja tirei o curso tarde... paixão...enfim...
o que quero dizer é que a mobilidade não é assim uma coisa que se possa fazer do pé para a mão, sobretudo quando existem pessoas que nos prendem a determinados locais...

Comentar post

.Andrei

.Busca!

 

.Compadres

.Visitantes

free counter