Expressão muito alentejana que significa "basta" ou "já chega". Espaço de liberdade. Galeria de arte pública.

.Ultimamente...

. Se quiserem...

. O verdadeiro amigo está s...

. Onde pára esta sangria?

. Pequim(ninos)

. No fundo, no fundo...

.Sótão

Segunda-feira, 10 de Outubro de 2005

Autarquicas 2005

suplemento-autarquicas-2005.jpg



A imagem parece adequada, remete-nos muito provavelmente para o vazio de esperança em que muitas pessoas já se encontram, ainda assim, porque o dever cívico se impõe, de ombros baixos os portugueses acorreram às urnas para escolherem os representantes dos seus interesses. Convicto estou, que grande percentagem do universo eleitor, confunde autárquicas com legislativas e europeias com presidenciais, não sendo porém a culpa delas, antes sim, do discurso partidário, desprovido de realidade e de sentido prático…talvez assim convenha, para que os poderes instalados não sofram abalos incomodativos.




Incomoda-me muito, que na fase após o escrutínio, surjam os discursos da vitória e os lamentos da derrota, como que de uma competição se tivesse a falar. Ninguém consegue dizer a estes “putos da política”, que o nome de Portugal e dos portugueses está em primeiro lugar. Que os interesses do país e dos seus cidadãos devem surgir muito antes dos interesses partidários e que é muito feio, proferir palavras de vitória, ou de repúdio contra os seus opositores. Incomoda-me muito, que neste momento se estejam a comparar os resultados autárquicos à escala das legislativas. Admito, que do discurso do primeiro-ministro nada de novo tenho ouvido e foi nessa convicção que comecei ontem a ouvir as suas palavras. Para surpresa minha, havia algo de novo a ser dito, ouviu-se os votos de parabéns e de sucesso enviados aos autarcas eleitos. Posição correctíssima, seria nesse espírito que as forças discursivas deviam assentar…e não fazerem o aproveitamento político já impossível de ocultar.




Mas as decisões foram tomadas pelos portugueses e independentemente de quem foi eleito, alguém terá de assumir os erros do passado e o que ainda não foi feito. É meu mais sincero desejo, que a “minha” nova autarquia saiba dar o rumo que Beja precisa e acima de tudo, saiba ouvir e respeitar a opinião da população.

publicado por Andre às 22:42
link do post | comentar | favorito
33 comentários:
De Anónimo a 12 de Outubro de 2005 às 14:40
Desculpa se te ofendi ou insultei de alguma forma, acho que não o fiz e tenho por ti o respeito que me merecem todas as pessoas que têm a coragem de dizer aquilo que pensam. Não me identifiquei porque não acho que isso seja importante. Não me preocupa quem diz, mas o que diz. De qualquer forma o meu nome é Cláudia.
</a>
(mailto:)
De Anónimo a 12 de Outubro de 2005 às 11:34
No que a mim me diz respeito, não vou continuar a responder pois estamos a entrar no campo dos insultos pessoais, e sinceramente tenho mais que fazer à vida. Gostaria no entanto que A Exma. Sra. que tem respondido aos meus posts se identificasse (com um nome ficticio eventualmente) para que assim se saiba, neste blog quem diz o quê...e dar oportunidade a todos de não querendo naõ responder a determinada pessoa, porque isso dos anónimos tem muito que se lhe diga.anjocaido
</a>
(mailto:)
De Anónimo a 12 de Outubro de 2005 às 10:31
Ora bons dias...sim o debate vai do interessante ao muito interessante, faço é um apelo aos intervenientes para que não descarrilem os argumentos...afinal o mundo é feito de diferenças é pena é o défice de respeito por essas mesmas. Ora um muito bem haja.Luis Dinis
</a>
(mailto:okayyam@sapo.pt)
De Anónimo a 12 de Outubro de 2005 às 09:52
e não é que este blog passou a ser muito interessante? Parabens pessoal! Muito me rio a ler a vossa guerrinha.Ser funcionário é mau? é bom?Cá para mim vai tudo dar ao mesmo.Quem se atira aos funcionário porque o faz?Porque queria tb ser funcionário, já que no ver de muita gente ser funcionário é ser preguiçoso.Ser patrão é mau ser empregado tb...Que tal sentarem se à sombra dum chaparro e esperarem que voltemos ao comunismo? Ninguem terá nada mas todos terao o mesmo!Muitos reclamam mas são esses mesmos que pouco fazem para evoluir.Custa muito acordar de manhã cedo para ir ganhar algum para viver...
</a>
(mailto:)
De Anónimo a 12 de Outubro de 2005 às 00:33
Tiras algumas conclusões precipitadas. Não me ouviste dizer que não queria ter um palácio, nem me ouviste dizer que trabalho pouco mais de quarenta horas... não trabalho com o objectivo de ficar rica, nem acho que o meu trabalho enquanto funcionária por conta de outrém, seja esse outrem o estado ou um particular, me vá permitir ter um palácio, mas olha sou feliz assim. Não sinto que tenha que carregar com ninguém às costas, mas sinto que tenho a obrigação de contribuir para o bem comum. Não que a tua resposta me interesse, mas quando trabalhavas por conta de outrém também trabalhavas 70 horas por semana fora os fins-de-semana.
Não acho que "os pobres" precisem que se ande a vender palácios para lhes dar. Essa é uma filosofia assistencialista que a mim me diz muito pouco. O que eu acredito é em projectos de desenvolvimento construidos com a pessoas, onde com as pessoas se trabalha para construir, não palácios, mas novas ferramentas de trabalho.
Quanto aos inocentes... para mim são suspeitos.
Se eventualmente sentires amizade por mim, claro que me podes chamar amiga, se destraidamente estiveres a ser hipocrita, pois preferia que não.
</a>
(mailto:)
De Anónimo a 11 de Outubro de 2005 às 21:22
gostava de ter ver instalada num palacio...à grande e à francesa...aposto que o ias vender para dar aos pobres...lirismos!!!anjocaido
</a>
(mailto:)
De Anónimo a 11 de Outubro de 2005 às 21:21
Tenho que bazar... depois falamos
</a>
(mailto:)
De Anónimo a 11 de Outubro de 2005 às 21:16
Pois lá está a diferença...trabalhas pouco mais de 40 horas por semana...eu trabalho (nos 5 dias uteis) por volta das 70, fora os fins de semana. Eu também me desloco no meu carro e daí...se tenho que ir a algum lado em serviço vou no meu carro!!!!
Nunca disse que tu não eras a excepção à regra até porque não te conheço para fazer tal afirmação...agora que a maioria da função publica anda a dormir ...lá isso anda!!!anjocaido
</a>
(mailto:)
De Anónimo a 11 de Outubro de 2005 às 21:10
Claro que trabalhar por conta de outrém não é problema nenhum...também já tive que o fazer...e não custou nada...te garanto!!!!anjocaido
</a>
(mailto:)
De Anónimo a 11 de Outubro de 2005 às 21:07
Minha amiga (se é que te posso tratar assim)...Principio Fundamental do Direito Penal Português é o do "In Dubio Pró Réu" que julgo saberes o que significa...se não sabes eu explico-te: até que haja uma sentença condenatória transitada em julgado todos aqueles que se vêm a braços com a justiça são considerados inocentes...logo no pleno gozo dos seus direitos e deveres enquanto cidadãos, de entre os quais o direito a candidatar-se a um cargo publico.
Por outro lado se achas que os adjectivos "corruptos, mentirosos, hipocritas" se aplicam à tua pessoa...isso jã não sei...nem tenho que saber...fica na consciência de cada um. Quanto a mim, sim ando à procura do melhor palácio para viver...mas trabalho para isso...e muito...mas não quero que o resto se lixe e quem me conheçe sabe que não...é o que importa! Obviamente que preocupo-me com os que me rodeiam, e pouco com os outros vejo na vida numa perspectiva mais individualista...tou farta de carregar com os outros às costas!!!!Basta!!!anjocaido
</a>
(mailto:)

Comentar post